quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

O carteiro e o poeta


o livro de antonio skármeta conta a história de um jovem carteiro que se torna amigo de um grande poeta, pablo neruda. mario jiménez é o encarregado de entregar a correspondência de uma única pessoa, neruda, e nessas visitas diárias que ele faz a casa do poeta, surge uma grande amizade, em que neruda faz o papel de casamenteiro, padrinho de casamento e do filho de jiménez. além da poesia nós também podemos encontrar no livro um pouco de política, através da narração de algns fatos referentes a eleição de salvador allende. o livro é muito agradável de se ler, pois nos permite ser "como um barco tremendo em suas palavras". existe uma versão para o cinema desse livro, mas eu confesso que nunca assisti, apesar dela já ter passado algumas vezes na tv. um dos trechos que mais gostei do livro é o seguinte: "aqui na ilha, o mar, e quanto mar. sai de si mesmo a cada momento. diz que sim, que não, que não. diz que sim, em azul, em espuma, em galope. diz que não, que não. não pode sossegar. chamo-me mar, repete batendo numa pedra sem convecê-la. e então, com sete línguas verdes, de sete tigres verdes, de sete cães verdes, de sete mares verdes, percorre-a, beija-a, umedece-a e golpeia-se o peito repetindo seu nome". e para encerrar, faço do pedido de neruda, meu pedido: "quero que você vá com esse gravador passeando pela ilha negra e grave todos os sons e ruídos que vá encontrando. preciso desesperadamente de algo, nem que seja o fantasma da minha casa. a minha saúde não anda nada bem. sinto falta do mar. sinto falta dos pássaros. mande para mim os sons da minha casa."

2 comentários:

O clube disse...

Um dos meus livros preferidos. Como eu queria morar naquela praia, poder viver de escrever, aproveitar o ambiente e fugir dessa poluição. Gosto do Carteiro, Gosto do Poeta, Gosto do Neruda, gosto do Livro, gosto... gosto... gosto... - CRIS

katy disse...

meu sonho também... ver o mar todo dia e viver da literatura. nem precisava de muito, só o básico mesmo. o mar ia fazer o resto. ahhhhh quem sabe um dia né cris?!!!